Idioma

  • Português
  • Español
  • English

X Conferência Latino Americana de Software Livre

de 16 a 18 de outubro de 2013 - Foz do Iguaçu | PR | Brasil

Maratona de Robótica Livre

Em: agosto 5, 2012 as 23:09 por

VI Maratona de Robótica Livre

Para este ano a Maratona além de oficializar a Olimpíada de Robótica Livre – que antes tinha um caráter de oficina – também iremos oferecer as oficinas:

  • - Ateliê de Robótica Livre Básica – Utilização da Porta Paralela no desenvolvimento de Kits pedagógicos livres (Interface de Hardware Livre e Artefato Cognitivo)
  • - Ateliê de Robótica Livre Avançada – Utilização da USB a partir da arduino ou gogo board no desenvolvimento de Kits pedagógicos livres (Interface de Hardware Livre e Artefato Cognitivo)

Os objetivos das oficinas são o desenvolvimento de projetos de Arte e Tecnologia a partir da Robótica Pedagógica Livre; e o desenvolvimento cognitivo dos atores sociais envolvidos nesse processo de ensino e aprendizagem a partir da apropriação como forma de emancipação digital.

Os projetos desenvolvidos nos ateliês também poderão participar da Olimpíada de Robótica Livre desde que sigam o regulamento.

Ateliê de Robótica Livre: Básica e Avançada

Nomenclaturas
IHL – Interface de Hardware Livre (Interfaces do tipo Paralela, Serial e USB)
DEC – Dispositivos Eletrônicos a serem Comandados
SASL – Sistemas e Aplicativos em Software Livre

Apresentação das Oficinas

Nas oficinas o conhecimento será compartilhado, por meio da colaboração entre grupos. Deverão participar em cada oficina, no máximo, 20 pessoas (subdivididas em cinco grupos de quatro pessoas), pois será construída uma Interface de Hardware Livre (IHL) para cada grupo, além da construção de um “artefato tecnológico-robótico (artefato cognitivo)” com a utilização de sucatas, que será controlado pela IHL.

Os grupos serão formados no primeiro dia da olimpíada, e, ao longo do evento, cada grupo definirá qual tema/material levará para a olimpíada (tendo em vista as limitações da IHL e o tempo da competição). No último dia, cada grupo apresentará seu “artefato cognitivo” construído a partir do “lixo tecnológico-eletrônico”. Uma comissão formada por engenheiros da Itaipu Binacional, representantes de comunidades e outros convidados avaliará os artefatos construídos, e o melhor projeto ganhará um prêmio a ser definido pela organização organizadora da Latinoware.

A interface IHL é responsável pela comunicação entre o software de controle e os dispositivos eletrônicos a serem comandados. Possui características de baixo custo e facilidade de montagem, já que quase todos os componentes eletrônicos são encontrados em equipamentos obsoletos ou inutilizados de informática ou eletrônica. Componentes mais difíceis de serem encontrados nos equipamentos descartados podem ser comprados em lojas de eletrônica. A partir do projeto da IHL, os educandos, em grupos, constroem suas próprias IHL. Vale ressaltar que não será cobrado valor algum pelos materiais básicos.

Etapas

  1. Sensibilização — Palestra de Robótica Livre, para esclarecer as propostas pedagógicas e as atividades.
  2. Temas Geradores — Demonstração do funcionamento e das possibilidades de uso das tecnologias da robótica, como elemento integrador do projeto, em torno do qual se estruturam as atividades propostas.
  3. Formação básica — Aprendizagem específica em um nível suficiente para entendimento do funcionamento dos dispositivos e recursos (IHL, DEC e SASL) dos seguintes conteúdos: informática; eletricidade e eletrônica; lógica binária; linguagem de programação: Shell script, C++ e Logo; montagem de circuito impresso; noções de dispositivos eletromecânicos: motores e sensores; construção e reaproveitamento de materiais: roldanas, engrenagens, eixos; noções de projeto.
  4. Experimentações de controle do DEC — Utilizando modelos de DEC construídos e testados anteriormente pelo propositor do curso, o grupo visualiza de forma concreta o controle dos DEC através da robótica. Nesta etapa, os educandos aprendem a montagem dos DEC e dos circuitos demandados (IHL, fiação, ligação da fonte de alimentação, etc.), utilizando a IHL e DEC disponibilizados.
  5. Planejamento dos projetos de controle do DEC — Organização do grupo em pequenos subgrupos, denominados equipes. Cada equipe apresenta e discute com o grupo seu projeto específico, no qual devem constar o nome, descrição, diagrama de montagem, planilha de materiais a serem utilizados e o esboço de um cronograma inicial.
  6. Montagem da IHL — No primeiro momento, o propositor do curso indica em quais equipamentos obsoletos ou inutilizados podem ser encontrados os componentes para a montagem da IHL. A partir desta engrenagem propulsora, o propositor instiga os grupos a pesquisarem outras fontes alternativas de equipamentos, para extraírem os componentes necessários para a montagem da IHL.
  7. Montagem dos projetos de controle do DEC — Nesta etapa, o propositor do curso indica quais equipamentos costumam conter dispositivos eletromecânicos, como motores e sensores, além de materiais que ajudarão o educando na montagem de seus projetos de controle do DEC, como eixos, roldanas, engrenagens, fiações, bornes de ligação, resistores, etc. Vale lembrar que esta possibilidade não se limita a equipamentos de informática e o propositor instiga os educandos a procurarem outras fontes alternativas.
  8. Avaliação — A avaliação é cíclica, ou seja, o tempo todo devem ser avaliadas as atividades, o projeto desenvolvido, os processos envolvidos e o produto final na ROBÓTICA PEDAGÓGICA LIVRE.

Responsável: Danilo Rodrigues César (UFBA)

Como Participar

Primeiro, leia atetamente o regulamento.

EM BREVE AS INSCRIÇÕES SERÃO ABERTAS!!!

Recomenda-se que os alunos já tenham conhecimento em eletrônica (corrosão de placas de circuito impresso, soldagem de componentes eletrônicos, etc.) e conhecimentos básicos de linguagem de programação (a programação será feita em shell script, usando o aplicativo Kommander, C++ e outras linguagens de programação). Cada grupo será acompanhado por alunos de engenharia, pedagogia, arquitetura, belas artes e outros estudantes de áreas distintas do conhecimento, disponibilizado pela Comissão Organizadora que irão apoiar nas atividades das oficinas.

Mais informações: robotica@latinoware.org

 

Material de apoio:

Arduino -http://arduino.cc/es/ArduinoYElRobotAsuro/ArduinoYElRobotAsuro

Arduino/Asuro -http://www.arexx.com/arexx.php?cmd=goto&cparam=p_asuro

Repositório Robótica livre -http://libertas.pbh.gov.br/~danilo.cesar/robotica_livre/

Kit Didático de robótica livre (SP) -http://rede.acessasp.sp.gov.br/?q=node/185

Projeto robótica livre –http://www.roboticalivre.org

Comunidade -http://softwarelivre.org/robotica-livre/

Musa – http://www.musa.cc/

Gogo Board Br – http://br-gogo.sourceforge.net/

Observações:

  • Vale ressaltar que a organização disponibilizará o lixo tecnológico-eletrônico necessário para a realização da olimpíada, e as equipes poderão trazer o seu lixo apenas se assim optarem.
  • A Comissão organizadora disponibilizará também um kit com ferramentas básicas (alicates de corte e bico; chaves de fenda e phillips; ferro de soldar; solda e furador de placa de circuito impresso). Como o kit disponibilizado é com ferramentas básicas, a sugestão é que os participantes das oficinas tragam as suas próprias ferramentas (Furador de placa de circuito impresso; Rolo de Soda fina; Protoboard de 830 furos ou mais; Ferros de solda com ponta fina de 30W; Suporte para ferro de solda; Sugador de solda; Percloreto de ferro; Vasilha de plástico para colocar o percloreto de ferro: 30 x 25 cm e altura de 10 a 15cm; Caneta para retroprojetor ou marcador de cd; Cortador e marcador de circuito impresso; Conjunto de alicates: Corte e Bico; Conjunto de chaves: Fenda e Phillips; Estilete; Bisnaga de silicone) para facilitar/auxiliar no desenvolvimento mais rápido dos projetos de Robótica Livre.

 

VI Olimpíada de Robótica Livre

Posted in: |

Apoio